O que deve saber sobre o mercado imobiliário
Voltar \ Habitação valoriza 1,2% durante o segundo confinamento

Habitação valoriza 1,2% durante o segundo confinamento

12 abr 2021
Habitação valoriza 1,2% durante o segundo confinamento
Preço de venda das casas no país apresentou uma variação trimestral de 1,2% no 1.º trimestre deste ano, período que coincidiu com o segundo confinamento geral.

De acordo com o Índice de Preços Residenciais da Confidencial Imobiliário para Portugal Continental, o preço de venda das casas no país apresentou uma variação trimestral de 1,2% no 1.º trimestre deste ano, período que coincidiu com o segundo confinamento geral, revela comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso.

A valorização trimestral manteve-se, assim, em níveis semelhantes à observada no 4.º trimestre de 2020, designadamente de 1,3%.

Desagregando o comportamento por mês, verifica-se que, ao longo do trimestre, os preços têm exibido um percurso de estabilidade, com variações mensais marginais. Em março, a variação mensal manteve-se em 0,3%. 

Em termos homólogos, os preços apresentam uma subida de 2,6% em março de 2021. Saliente-se que apesar de manter a variação homóloga em terreno positivo, este resultado confirma a tendência de perda do ritmo de crescimento verificada no último ano e a qual tem sido o principal reflexo da pandemia no comportamento dos preços.

No final do 1.º trimestre de 2020, os preços das casas subiam mais de 15% em termos homólogos, com este indicador a perder fôlego ao longo de 2020. O ano encerrou com uma taxa de variação homóloga dos preços de 4,8%, agora novamente comprimida, sublinha o mesmo comunicado. 

O preço médio de venda das casas em Portugal Continental fixou-se em 1.653 euros por m2 no 1.º trimestre de 2021, conforme dados do SIR-Sistema de Informação Residencial. Relativamente ao tempo médio de venda das casas, situa-se nos 6 meses.

Note que o Índice de Preços Residenciais da Confidencial Imobiliário acompanha a evolução dos preços de transação de habitação, sendo apurado a partir dos dados reportados ao SIR-Sistema de Informação Residencial desde 2007. 

Veja Também